Tiene Guimarães

tiok1

Minha escolha pela psicologia foi, de alguma forma, incerta. Ingressei na universidade muito jovem, com apenas 16 anos e, como todo adolescente, ainda apresentava diversas dúvidas se havia realmente feito a escolha certa. Conforme o tempo foi passando e fui aprofundando cada vez mais meus conhecimentos, sabia que estava no caminho que deveria estar.

No segundo ano de psicologia, sem saber naquele momento o porquê, meu interesse pela psicanálise foi despertado. Primeiramente com Freud, fui aprendendo e buscando por conta própria saber mais sobre a teoria e a prática psicanalítica, e, com o tempo, meu desejo de conhecer cada vez mais os mecanismos e manifestações do inconsciente foi crescendo e eu ficava – e ainda fico – em muitos momentos, surpresa com o quanto ele sempre está presente na vida de cada um de nós.

Certa de que a psicanálise era a abordagem que me embasaria como profissional, busquei conhecer suas diversas formas de aplicação. Neste momento, fui apresentada ao hospital geral. Não para a aplicação da psicologia hospitalar nesse contexto, mas para a psicologia clínica, de abordagem psicanalítica, aplicada ao hospital. Ao realizar minha especialização nesta área e ao atender pacientes em seus leitos, oferecendo um espaço para que estes pudessem falar, pude perceber que o inconsciente não era algo distante que deveria ser desvendado, mas que ele estava ali, se manifestando das mais diversas formas, dando sinais constantes de sua existência, que bastava alguém que estivesse ali, disposto a interpretá-lo. A partir do trabalho no hospital, principalmente na área da pediatria, pude crescer muito não apenas como profissional, mas também como pessoa.

Hoje consigo dizer que me sinto autorizada a atuar utilizando a psicanálise como base e que a partir do seu tripé – que consiste em estudo da teoria, análise pessoal e supervisão dos casos atendidos – busco, através da prática clínica, me aperfeiçoar cada vez mais.

Ao ofertar a escuta e possibilitar com que o sofrimento e a angústia do paciente possam ser colocados em palavras, fica clara a importância de uma análise, dando ao paciente aquilo que, em diversos momentos, no cotidiano e na mecanização do dia-a-dia, lhe é retirado: espaço para a expressão da subjetividade.

FORMAÇÃO

Graduação em Psicologia – Universidade Federal do Paraná (UFPR) – 2009/2013;

Pós Graduação completa – Residência Integrada Multiprofissional em Atenção Hospitalar: Área de concentração em Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente – Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (HC/UFPR) – 2014/2016;

Núcleo de Pesquisa Espaço Freud e o Sintoma – Escola Brasileira de Psicanálise (2014) – Coordenação: Maria Otília Bento Holz;

Seminário sobre os casos clínicos de Freud – Biblioteca Freudiana de Curitiba (2015);

X Curso de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência Sexual – Maternidade HC/UFPR (2015) – Coordenação: Prof. Dr. Rosires Pereira de Andrade;

Participação na Pesquisa “Corpo e Psicanálise: reflexões sobre os fenômenos psicossomáticos a partir do trabalho clínico” – UFPR (2014/2015) – Coordenação: Prof. Dr. Nadja Nara Barbosa Pinheiro.

Ouvinte:
Ciclo de Conferências: “O que pode um analista no hospital?” – com Maria Lívia Tourinho Moretto – Fórum do Campo Lacaniano (2013);

XIV Jornada de Cartéis e I Jornada dos Núcleos de Pesquisa – com Marcelo Veras – Escola Brasileira de Psicanálise (2013);

III Congresso Internacional de Saúde Mental – Faculdades Integradas de Ourinhos – FIO (2014);

XI Colóquio da Delegação Paraná – EBP: “Trauma e Violência. A violência do trauma: aquilo que ressoa no corpo” – Escola Brasileira de Psicanálise (2014);

II Fórum Perinatal da Rede Cegonha – HC/UFPR (2014);

X Café da Psicologia Hospitalar – Conselho Regional de Psicologia do Paraná (2014);

Ciclo de Conferências: “Sintoma e Real: real e gozo” – com Didier Castanet – Fórum do Campo Lacaniano (2014);

II Congresso Latino-Americano de Psicanálise na Universidade – USP (2015);

III Encontro de Diabetes da Unidade de Endocrinologia Pediátrica – HC/UFPR (2015);

Conferência “Enlaces e Desenlaces na Vida Sexual” – com Antônio Quinet – Fórum do Campo Lacaniano (2015);

Extensão Universitária: “Luto: da experiência da perda à perda da experiência” – UFPR (2015);

III Encontro de Psicanálise da Universidade Positivo (2015).

Apresentação de Trabalho:
IV Congresso de ULAPSI: Construyendo la Identidad Latinoamericana de la Psicología – Montevideo/Uruguay (2012) – Título: “Motoristas de Táxi: o contexto do trânsito e as implicações para a saúde”;

VII Jornada de Clínica Médica e II Jornada Multiprofissional de Atenção à Saúde do Adulto e do Idoso – UFPR (2014) – Título: “Escuta: as possibilidades do trabalho da psicologia em um hospital”;

IX Jornada de Saúde Mental e Psicanálise – PUC/PR (2015) – Título: “As (im) Possibilidades da atuação psicanalítica em um hospital geral”.

Artigo Publicado:
“Inquietações e Construções: um trabalho no hospital geral à luz da psicanálise” – Autoras: Nathalie Pavese e Tiene Guimarães – Revista Polêmica – (2015) Disponível em: <http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/polemica/article/view/19356/14129

APRESENTAÇÃO

Tiene Guimarães

Psicóloga

CRP : 08/19804

E-mail: tiene@psike.com.br

Tel. com.: (41) 3524-1405
Tel. cel.: (41) 41 8896-8510

“RECOMENDAÇÕES”

Em breve!

tiok2

 

Avenida Sete de Setembro, 4698 - Sala 2007 - Batel, Curitiba, CEP 80240-000. Telefone: 41 3524 1405. Email: psike@psike.com.br